Logomarca Auris Unitron

MARINGÀ

44

3262 3624

LONDRINA

43

3322 3080

Logomarca Grupo Micro Som
artigos
  • 01/08/2009

    O QUE É A FONOTERAPIA / REABILITAÇÃO AUDITIVA

    Crianças com perda auditiva, quando usam AASI/ ou IC, não sabem interpretar os sons recebidos. O objetivo maior do trabalho fonoaudiológico é ajudar a criança a aprender a escutar, fazendo com que passe pelas mesmas experiências auditivas de uma crianças ouvinte. 
    Este trabalho é realizado por um fonoaudiólogo, e terá uma sequencia das habilidades auditivas:

    • Detecção auditiva;
    • Discriminação auditiva;
    • Reconhecimento auditivo;
    • Compreensão auditiva;
    DETECÇÃO AUDITIVA
    O trabalho de detecção deve ser intenso, visando uma perfeita detenção de sons ambiente e de sons de fala. A criança deve ser introduzida no mundo sonoro e ser direcionada a estar atenta aos sons que ocorrem ao seu redor. 
    Deve se chamar a atenção para a presença e pela ausência do som.
    DISCRIMINAÇÃO AUDITIVA
    Na discriminação auditiva, o que se espera é que a criança saiba indicar se os sons são iguais ou diferentes.
    Dois ou mais estímulos sonoros são apresentados à criança, que não precisará identificar o que ouviu; apenas deverá indicar a igualdade ou a diferença entre eles.

    RECONHECIMENTO AUDITIVO
    Esse nível de trabalho auditivo deve ser apresentado em duas etapas:
    Etapa introdutória/ Conjunto Fechado/ Closed-set = 
    A criança deve ser trabalhada para reconhecer, diante de dois ou mais estímulos, quais ela detecta.
    Sua atenção deve ser dividida para as diferenças entre sons. São-lhe apresentados três ou mais sons, perguntando-se a ela qual deles ouviu. 
    Espera-se que a criança, já tenha conseguido associar o som a sua fonte geradora antes que seja iniciado o trabalho de reconhecimento.
    No reconhecimento auditivo introdutório, as opções de respostas pela criança são definidas em função dos estímulos apresentados. São respostas externas a ela. Diante de estímulos definidos a criança terá opções de respostas em um conjunto fechado.
    Tais estímulos sonoros devem ser sempre apresentados fora do campo visual, sem que permitam qualquer apoio visual.
    Etapa Avançada/Conjunto Aberto/ Open-set = 
    Nesta etapa a criança dirá o que ouviu, e a resposta dependerá de seus componentes internos a ela, nesta etapa também, há a solicitação de que a criança repita a palavra ou sentença que ouvir sem apoio visual.

    Nesta etapa, a criança não deve simplesmente ser levada a identificar os estímulos, mas também a repeti-los espontaneamente.
    Dentro do reconhecimento auditivo espera-se que a criança saiba:- reconhecer as vogais, os traços distintivos das consoantes, as palavras e as frases.
    COMPREENSÃO AUDITIVA
    Esta habilidade é adquirida quando a criança entende o significado da linguagem no discurso oral.
    A compreensão auditiva é a síntese, a sobreposição de todas as habilidades anteriormente descritas. Para a criança chegar à compreensão da linguagem, necessita utilizar não só as habilidades auditivas, mas também associa-las a elementos da situação e do contexto da mensagem. Escutamos e pensamos a linguagem dentro de um contexto.
    A compreensão da linguagem envolve uma serie de fatores, pressupondo sempre: o vinculo entre mensagem e contexto; o conhecimento que a criança tem da linguagem; a memória seqüencial; os conhecimentos gramaticais; o domínio dos conceitos e a vivência social da criança nas mais diferentes dimensões.

    A CRIANÇA COM MAIS DE CINCO ANOS
    É importante que sejam trabalhados com as crianças conceito que sendo exigidos na alfabetização. O trabalho pode ser feito por meio de jogos, próprios ou por meio de brincadeiras que tenham o conteúdo daquilo que precisamos.
    Os conceitos muitas vezes se tornam difíceis à percepção da criança deficiente auditiva. Assim, é interessante um trabalho em situações concretas. Usando a criatividade e a imaginação, pode-se tirar proveito de situações simples, lúdicas, que só dão prazer às crianças.
    Outro trabalho a ser desenvolvido nesta etapa é o da memória auditiva, simples e complexa, para frases e histórias. A leitura de histórias é útil em qualquer idade.
    A dramatização de histórias, quando se pode contar com grupos de 2 ou 3 crianças, é uma experiência muito rica. Deve se trabalhar também com análise, síntese e analise auditiva. 
    Todo este trabalho é realizado em associação com muita orientação familiar e escolar, a tríade perfeita para um excelente trabalho de fonoterapia, é:
    1. fonoaudióloga;
    2. família;
    3. escola;


    Fga. Joyce Duarte
    CRFaPR 8488

    INSTITUTO DA AUDIÇÃO 
    www.institutodaaudicao.com.br

    voltar