Logomarca Auris Unitron

MARINGÀ

44

3262 3624

LONDRINA

43

3322 3080

Logomarca Grupo Micro Som
artigos
  • 27/02/2010

    OFICINA DE TREINAMENTO AUDITIVO

    Os atendimentos são realizados em grupo, pois esta prática auxilia o indivíduo a “construir e reconstruir ” Vigotsky (1998) com experiências alheias. Todos os indivíduos escolhidos para tal prática já realizam atendimento individual.

    Vygotsky (1998) o grupo é o contexto onde se constrói e reconstrói, e são criados os significados. No grupo, é possível elaborar experiências, através de troca de informações, identificação, interpretação e transferência positiva.

    A terapêutica é dividida em módulos, nas quais temos objetivos específicos e determinados com antecedência.

    O foco principal, tendo em vista, que a oficina é oferecida a pacientes deficientes auditivos usuários de Implante Coclear, é o treinamento auditivo e estimulação, assim como estruturação do discurso oral (linguagem e fala), e com objetivo secundário, porém não menos importante, obtemos socialização.

    Seguimos uma abordagem educacional terapêutica chamada, aurioral.

    Crianças envolvidas em abordagens orais apresentam maiores ganhos de linguagem, desenvolvimento auditivo e inteligibilidade de fala do que aquelas envolvidas em programas de comunicação total. (GEERS; BRENNER, 2004, UZIEL, 2007)

    O treinamento auditivo, ou seja trabalho específico das habilidades auditivas com estimulação de linguagem oral, são diretamente ligados.

    O trabalho de habilitação auditiva é um processo facilitador do desenvolvimento da criança, no qual a construção da linguagem se fundamente na efetividade do sinal acústico, potencializado suficientemente para que esse processo ocorra.

    ( ESTRABOOKS ET AL 2001)

    Ao final de cada atendimento, realizamos orientação familiar.

    Os pais devem ser cuidadosamente orientados, para que sejam capazes de internalizar estratégias e saber aproveitar as situações do dia a dia, criando ambiente adequado para a estimulação auditiva e da linguagem oral. ( BEVILACQUA E FORMIGONI, 2005)

    Antes da realização de cada atendimento, é preciso seguir alguns pré requisitos:

    • Determinar a abordagem a ser seguida;

    • Estabelecer e favorecer o ambiente acústico; 

    • Definir técnicas que utilizará (destaques acústicos- espera, questionamento, reformulação, fechamento auditivo, uso do sanduíche auditivo, pista da mão, traços suprasegmentares -canções,traços segmentares- frases, histórias, caderno de experiências, caderno dialogado...)

    Esta prática terapêutica no Instituto da Audição teve início em janeiro de 2004, com o primeiro grupo, que eram crianças deficientes auditivas bilaterais, usuárias de Aparelhos de Amplificação Sonora Individual, este nosso segundo grupo, iniciou em Agosto de 2009, e são crianças deficientes auditivas bilaterais, usuárias de Implante Coclear. 

    Como o primeiro grupo já foi temática de TCC (trabalho de conclusão de curso da pós graduação em Educação Especial-UEM) sabemos que a efetividade ocorre na vida comunicativa e social destas crianças.

    Fga. Joyce Duarte
    CRFaPR 8488

    INSTITUTO DA AUDIÇÃO 
    www.institutodaaudicao.com.br

    voltar